Please reload

Please reload

RELATO SOBRE EXPERIÊNCIA COM AMAMENTAÇÃO

Vou contar o começo da minha história com a amamentação - que, como já disse no instagram, é uma das fases mais difíceis da maternidade - de uma maneira simples e objetiva: aos 15 dias percebi que o meu bebê gostava mais de dormir do que de mamar. Pelos menos foi essa a "mensagem" que recebi naquele momento, embora depois tenha tido uma compreensão melhor do que acontecia. Ele começava a mamar e, provavelmente, esse primeiro leite que saia o peito era o leite anterior, que tem uma consistência mais aguada. Ele mata a sede mas não enchia a barriga, entende? Assim, o Arthur cansava do esforço de sugar o peito, dormia e não chegava ao leite posterior, que é cheio de gordura e sacia o bebê. Resultado? Ele acordava uma hora depois morrendo de fome. E, depois de alguns dias sem dormir, dando de mamar de hora em hora, eu estava estressada e ele fadigado.

 

 

Foi aí que, em um surto de cansaço, eu decidi: ia descansar e passar um dia inteiro sem amamentar, dando para o meu bebê o meu leite que eu já havia tirado e estava congelado. Pausa nessa história para você entender como armazenar leite materno! A recomendação é de que o leite fique armazenado na geladeira por até 12 horas e no congelador por até 2 semanas. Portanto, sempre que você tirar leite, não esqueça de anotar a data no recipiente que ele ficará guardado. Esse recipiente deve ser esterilizado e nunca deve ser preenchido até seu limite, pois o leite aumenta de volume depois de congelado. Também não esqueça de, quinzenalmente, de fazer um rodízio entre os leites, descongelado os do freezer e congelado o leite recém-tirado.

 

Agora, voltando para a minha história, sabe o que aconteceu com o meu bebê quando ele começou a tomar o leite posterior? Ele passou a dormir melhor e ganhar peso. Foi então que eu decidi continuar desmamando leite e dando esse leite materno na mamadeira. E aí que o meu desafio começou! A escolha da bomba de tirar leite faz muita diferença. Uma bomba manual não se compara a uma bomba elétrica de qualidade. Não somente pelo conforto, mas também pela rapidez do processo em si. Dizem que ordenhar leite com a mão é mais eficiente que com as bombas elétricas, porém também mais cansativo. E se você está perguntando se ordenhar leite é tão eficiente quanto uma mamada de verdade, a resposta é não. Nada é tão eficiente quando a boca do bebê. Mas, fazendo uma boa massagem antes e durante o processo de tirar leite, tudo fica mais fácil. Na massagem você ajuda a desobstruir os ductos e liberar espaço pra o leite descer. Eu sempre pensei como se estivesse fazendo uma "drenagem linfática" no meu peito, massageando desde a axila e "drenando" o leite  perto do mamilo. Se você sentir pontos muito duros é sinal que é exatamente aí que você mais precisa massagear. Se quiser agilizar o processo, uma compressa com toalha quente ajudará. Se quiser agilizar mais ainda, dê alguns pulinhos que a pressão do balanço da mama faz com que o leite desça. Eu sempre tirava leite e, quando aparentemente tinha "secado", fazia uma massagem, dava uns 20 pulinhos e o leite voltava a descer. O segredo de continuar produzindo leite é continuar retirando leite. Eu percebi que alimentação ajuda, descanso ajuda, beber água ajuda muito, pensar no bebê também, mas nada se compara a sempre esvaziar o seio. Nosso corpo é inteligente. Sempre que o peito esvaziar, ele vai produzir mais leite. Dessa forma, se você quiser aumentar a sua produção de leite, tire leite com mais frequência. Se quiser diminuir, aumente os espaços entre as retiradas. Quando eu queria aumentar minha produção, tirava leite a cada 2 horas, até de madrugada. E foi assim que cheguei a produzir mais de 1L de leite por dia. 

 

Não esqueça que não é de imediato que o corpo começa a produzir leite! Leva pelo menos uma semana para conseguir aumentar essa produção. Muitas vezes, a bomba fica sugando e nada desce. Não desista! Ah, e pense muito antes de tomar uma decisão de amamentar seu bebê exclusivamente ordenhando leite. Essa não foi uma escolha minha, as coisas se desenrolaram assim. Se eu tentei voltar a dar de mamar no peito? Sim, tentei. Mas aí o meu bebê já não quis mais. Aparentemente, até os bebês preferem o caminho mais fácil. E, para finalizar esse papo (com a minha experiência, vale ressaltar), lembre-se: a amamentação não tem apenas o papel funcional de alimentar o bebê, ela é um momento de conexão único entre a mãe e o filho.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

ARQUIVO
POSTS RECENTES
TAGS
Please reload

  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
Blog de hábitos saudáveis